Arquivo da tag: sucesso

Cérebro franzino e cérebro obeso: ser esforçado é mais importante que ser inteligente

pessoas esforçadas conquistam melhores resultados

Na cultura brasileira, valoriza-se muito a inteligência, o dom, o talento e as habilidades natas, em detrimento do esforço pessoal para o autodesenvolvimento. Os povos orientais divergem do paradigma brasileiro, ensinando seus estudantes que o treino sistemático e persistente faz o indivíduo dominar qualquer competência.

Prefiro a abordagem oriental, responsável pelo progresso notável do povo japonês, coreano e chinês. As conquistas deles e a dedicação quase insana pelo estudo baseia meu raciocínio, como descrito abaixo.

Continuar lendo

Anúncios

Educação Financeira: a matéria mais importante das escolas brasileiras

educacao_financeira

É unanimidade o fato de que a educação brasileira passa por um péssimo momento, caindo nos rankings mundiais ano a ano. Hoje, estamos melhores apenas que a Indonésia e atrás de muitos países com renda per capita muito inferior à nossa. O descaso do Estado com a educação se mostra evidente e as mais variadas propostas são apresentadas.

Todos sabem que os conhecimentos mais valiosos não se aprendem na escola. Mas se eu pudesse escolher apenas uma matéria para acrescentar em todos os currículos, do ensino fundamental ao pós-doutorado, eu escolheria esta:

Continuar lendo

O que é ter sucesso? O que significa vencer na vida?

Quando se trata do tema sucesso, a maioria costuma dizer “isso é muito relativo”, “cada um tem a sua ideia”, “isso é para poucos”, “isso é muito difícil”. Essas opiniões são equivocadas, pois são baseadas em meias verdades e convenções sociais, quase sempre equivocadas.

Assim, dou minha definição curta de o que é ter sucesso/vencer na vida:

TER SUCESSO É GERAR VALOR PARA TODOS AQUELES COM QUEM CONVIVE, ENTREGANDO BENEFÍCIOS POR TODOS OS LUGARES EM QUE PASSAR.

Isso é, ser bem-sucedido não tem nada a ver com fazer muito dinheiro e levar uma vida de luxo. Devemos ir a fundo nas causas da riqueza e não tomar o efeito pela causa. Apesar de isso ocorrer muitas vezes, não é preciso ser rico e ter uma mega empresa para ter sucesso. Todo aquele que é uma bênção nos lugares onde está é um vencedor.

Existe uma grande confusão, causada pela superficialidade de nossa cultura, de associar sucesso com dinheiro e proeminência profissional. Reiterando, muitas vezes eles estão juntos, mas não podemos tomar a parte pelo todo nem vincular variáveis independentes. Vou exemplificar a seguir:

São exemplos de pessoas bem sucedidas:

  • A dona-de-casa que cuida com presteza de sua família e ama incondicionalmente seu marido e filhos, fazendo de tudo para ter um lar alegre e bonito, fazendo de tudo para agradar à todo o seu círculo social. Sempre é lembrada com carinho por todos e todo lugar por onde passa fica mais feliz.
  • O atendente ou vendedor que procura tratar os clientes da melhor forma possível, a despeito de metas e exigências do empegador. É simpático com todos, sejam clientes, colegas, chefes e todos que passam pela loja. Busca sempre vender o produto que atenda melhor o cliente, ao mesmo tempo em que atende às expectativas do patrão. Quase sempre são recompensados com boas comissões e promoções, pois geram valor para os consumidores e a empresa.
  • O empresário que procura oferecer o melhor produto e serviço possível dentro de sua área de competência, levando valor para todas as partes que se relacionam com o seu negócio. Faz as transações com transparência, trata o consumidor como prioridade, paga um salário justo e provê um  ambiente de trabalho saudável para os seus colaboradores e cumpre com sua obrigações com o governo. Trabalha muito sem deixar de passar momentos agradáveis com sua família, participa ativamente da educação dos filhos e tem momentos de lazer de qualidade para trabalhar melhor.
  • O filantropo que aplica seu dinheiro, tempo e trabalho de forma a maximizar os benefícios gerados para os assistidos e que leva a uma real melhoria na qualidade de vida de todos. Não se deixa influenciar pela opinião dos outros, não se gaba do bem que faz nem faz propaganda dos seus feitos. Sabe que se manter humilde e discreto é parte do seu trabalho.

São exemplo de falsos vencedores, que de fato são pessoas fracassadas:

  • Pessoas que acham que outras devem fazer tudo por elas. Muitas vezes “conquistaram” elevado padrão de vida, mas tratam isso como negociata ou troca de favores. Se acham no direito de receber tudo de mão beijada, pois acham que possuem privilégios que a colocam acima dos demais. Se fazem algo para alguém, sempre será por interesse, exigindo algo em troca. Infelizmente, muitos admiram esse tipo por terem qualidades valorizadas, como beleza, talento ou capacidade de persuasão, mas causam mal-estar e confusão por onde quer que estejam. Neste grupo se enquadram políticos corruptos, profissionais talentosos como alguns artistas e esportistas e mulheres bonitas que buscam um casamento por interesse, dentre outros.
  • Profissionais que colocam a carreira e dinheiro à frente do bem-estar das pessoas que ama. Na busca de melhorar o padrão de vida de sua família, por gostar demais do trabalho que desempenha ou por pensar que quem trabalha muito tem mais valor perante a sociedade, algumas pessoas negligenciam seus momentos de descanso e lazer e levam muitos recursos materiais para casa, mas esquecem de dar aos entes queridos algo muito mais valioso: seu tempo e sua atenção. Sua família está financeiramente bem, mas emocionalmente miserável. Isso significa fracasso familiar.
  • Pessoas que contrariam a lei e abrem mão de seus valores para obter dinheiro, vantagens ou prazeres por meios ilegais ou imorais, gerando prejuízo ao próximo. Nessa categoria se incluem diversos tipos de pessoas, desde aquele empresário que vende produtos que não entregam o que anunciam aos clientes; o vendedor que empurra um produto pensando apenas em aumentar a sua comissão; o colega de trabalho que puxa o saco do chefe e o tapete dos colegas visando a uma promoção a qualquer custo; o traficante de drogas, que causa danos à vida alheia em troca de dinheiro; o aliciador de mulheres que pensa que a matéria vale mais que a dignidade; o homem que assedia uma mulher forçando-a a algo que não quer e a mulher que exige algo dos homens em troca de sexo, se valendo da fraqueza moral destes. Pessoas que abandonam seus valores, fazem coisas ilegais ou imorais e prejudicam outros para se beneficiar são perdedores.
  • Pessoas que fazem boas ações visando apenas melhorar sua imagem, fazer auto-propaganda ou inflar o próprio ego: em vez de pensar no próximo, penam apenas em si mesmas e em “ficar bem na foto”. Agem pensando primeiro em si mesmas e deixam os beneficiados em segundo plano. Estes trocam toda a nobreza da caridade pelo orgulho e autopromoção, ficando seu benefício limitado à satisfação de sua soberba, fracassando na boa intenção pretendida.

Quem possui uma visão parcial do sucesso, tomando a parte pelo todo e a causa pelo efeito, vai dizer que o sucesso é relativo. Mal sabem elas que o sucesso absoluto existe e sempre existiu, além de ser muito fácil de se obter: gerar valor para as pessoas e para a sociedade. Simples assim.