Arquivo da categoria: Boas escolhas

Só o trabalho produz a riqueza

Esse sistema político criado pelos sociais-democratas europeus nos anos 50, chamado welfare state, tinha como objetivo trazer a segurança material a todos os cidadãos de um país. Mas muitos problemas derivaram dele, posto que se baseia no socialismo ricardiano e, sendo socialismo, não tem como dar certo.

Os próprios países idealizadores desse sistema, como a França e Alemanha, atestam sua insustentabilidade a longo prazo e reconhecem que o sistema está falido.

Aqui na América Latina, governantes mal-intencionados usam o assistencialismo para escravizar os cidadãos mais vulneráveis e cooptá-los a sempre votar neles, para perpetuarem seu projeto de poder e implantar o socialismo pela via gramsciana. Exatamente como ocorreu na Venezuela.

Agora a ficha está caindo e o último bastião do socialismo, o democrático, defendido pelo PSDB e PMDB, está ruindo.

Continuar lendo

Anúncios

Dica para encontrar um(a) namorado(a) de valor dizendo apenas duas palavras

casal de direita

Comigo funcionou maravilhosamente bem!

Este é um post de humor com um fundo de verdade.

Para conquistar um namorado ou namorada de valor, basta pronunciar duas palavras para conseguir:

Continuar lendo

A importância de fazer as escolhas certas

As pessoas atribuem muitas coisas à sorte ou ao sobrenatural, especialmente as que impactam negativamente suas vidas. Por preguiça de parar para refletir sobre como tem passado suas vidas e como têm feito suas escolhas, preferem associar os acontecimentos ao azar ou culpar pessoas e/ou circunstâncias externas. Na maior parte das vezes, seus problemas derivam de más escolhas.

Desde crianças somos obrigados a fazer escolhas e tomar decisões, muitas vezes sobre coisas que ignoramos. Já na escola, podemos optar entre estudar com afinco para estar entre os melhores da classe ou simplesmente fazer o mínimo para passar de ano. Em nosso tempo livre, podemos estudar inglês ou jogar bola, fazer academia ou ver TV. No terceiro colegial, podemos fazer cursinho a fim de entrar em uma boa universidade ou curtir a vida de baladas e viagens com a turma do fundão. Tudo parece muito inocente nessa idade, mas seu impacto no futuro altera drasticamente os resultados obtidos pelo indivíduo.

Em finanças, se fala muito da importância dos juros compostos, e a mesma lógica vale para trabalho e estudo: quanto antes a pessoa começa a correr atrás, mais cedo vai desfrutar dos resultados.

Muitos não fazem as escolhas corretas na vida por falta de orientação pela omissão dos pais, pois estes também não se esforçaram e não sabem orientar os mais jovens, repetindo aquilo que seus pais, professores e amigos os ensinaram a vida inteira, na linha do “deixa a vida me levar”. Ignoram a importância de fazer as escolhas certas no tempo certo. Dizem que é muito cedo para se preocupar, que podem correr atrás quando forem mais velhos e os jovens não tomam nenhuma decisão importante para a idade. Isso é muito perigoso, pois na maioria das vezes, não tomar uma decisão é a pior decisão a se tomar, causando sérios problemas. Geralmente é tarde demais.

Ou pior ainda, alguns pais criticam aqueles que têm sucesso, os chamando de gananciosos, antissociais, arrogantes e outros adjetivos depreciativos, e atribuem seu próprio fracasso aos bem-sucedidos, ensinando crenças limitantes na linha do:

  • “esse mundo é injusto, uns têm tanto e outros têm tão pouco”;
  • “só se dá bem que se envolve com coisas desonestas”;
  • “ele teve a sorte de conhecer alguém poderoso”;
  • “ele é muito inteligente, isso não é para as pessoas comuns”
  • “só quem nasce rico tem essas oportunidades”;
  • “se eu tivesse a “””sorte””” que ele teve, eu também teria me dado bem”

Dentre tantas crenças limitantes que envenenam a mente dos jovens e impedem este mundo de ser um lugar melhor. Muito mais nocivo que não ensinar os mais novos a fazerem as coisas certas, é desmerecer quem se esforçou e dizer que tomaram ações desonestas ou foram favorecidos de alguma forma por alguém, por um dom natural ou pela sorte. As pessoas que transmitem esse tipo de informação cometem um crime contra a juventude, pois estraga o futuro desses quando fecham suas mentes ao sucesso e o condena a viver uma vida medíocre, cheia de dificuldades, inveja e amargura.

Critico fortemente aqueles que atribuem sucesso a sorte, dons naturais, favorecimentos, apadrinhamentos e desonestidade, quando na esmagadora maioria das vezes ele foi fruto de decisões acertadas no tempo correto. Geralmente no começo da adolescência, aos 11 ou 12 anos de idade, quando todos ainda têm uma visão muito limitada da vida, os bem-sucedidos já começaram sua jornada e saíram na frente. Quando bem orientados, fazem boas escolhas em sequência, e quando a maioria começa a perseguir o sucesso, perto dos 30 anos, esses já estão adiantados no caminho e realizaram muito. Não tiveram sorte ou privilégios, apenas embarcaram nas oportunidades que a vida dá a todos, e colhem os frutos no tempo certo.

Para Deus, não existem escolhidos ou privilegiados. Apesar de alguns enfrentarem mais dificuldades e obstáculos que outros, todos podem obter o sucesso via esforço próprio, sem exceção. A sorte tem um peso muito menor do que se imagina, apesar de alguns precisarem remar muito mais do que outros. Não devemos atribuir ao azar o fruto de más escolhas feitas em sequência por um período prolongado. A possibilidade de mudança e melhoria de vida existe para todos, desde que se decida mudar e fazer o trabalho de desenvolvimento pessoal. Esse sempre ajuda a sorte.

Citando uma frase célebre de Thomas Jefferson:

“Eu acredito demais na sorte. E tenho constatado que, quanto mais duro eu trabalho, mais sorte eu tenho.”