As três lições mais importantes que aprendi sobre finanças pessoais

lições mais importantes sobre finanças

O domínio das finanças pessoas consistem em habilidade obrigatória e determinante para o sucesso, bem-estar e qualidade de vida de qualquer indivíduo, independentemente de cor, raça, credo, classe social e grau de escolaridade.

Alguns não tiveram a oportunidade de frequentar a escola, mas aprenderam a gerenciar seu dinheiro por outros meios, também conhecidos como “escola da vida”. Outros, porém, possuem todos os diplomas possíveis e falam múltiplas línguas, mas são ignorantes em educação financeira.

O resultado? Pessoas que não completaram o ensino fundamental são mais bem-sucedidas financeiramente que outras com pós-doutorado. Porque tiveram a humildade de aprender as três lições abaixo:

1 – Pague a si mesmo primeiro: O indivíduo que fala “se sobrar alguma coisa no final do mês” nunca poupará nada, pois sempre encontrará outra destinação para o dinheiro, geralmente frívola.

Para poupar dinheiro de fato, a regra é simples: sempre que receber qualquer valor, seja salário, pagamento, pró-labore ou extra, separe a sua parte primeiro e gaste o que sobrar. Você se ajustará a seu padrão de vida automaticamente e terá o hábito da poupança incorporado.

Fixe um percentual mínimo a ser poupado e siga rigorosamente. Por exemplo, 10%. Pode ser 20%, 30%, 50% ou até 80%. Quanto mais, melhor, desde que não prejudique sua qualidade de vida. Recebeu seu salário de R$ 1.000, poupe R$ 100 antes de pagar qualquer despesa e encaixe seu padrão de vida em R$ 900. Recebeu mais R$ 200? Poupe R$ 20 primeiro e aplique o restante como preferir. Faça o mesmo com férias, 13º salário, PLR e qualquer ganho extra. Garanto que você se adapta.

2 – Suas contas básicas não devem ultrapassar 70% da sua renda: Contas de consumo, aluguel, prestação de imóvel e/ou automóvel, gastos com educação, contas de consumo, transporte, supermercado, etc. As despesas básicas devem deixar sobra de pelo menos 30% para a poupança, quitação ou antecipação de dívidas (se for o caso), gastos em qualidade e estilo de vida e realização de sonhos.

Caso isso não ocorra, a revisão do orçamento e readequação no estilo de vida se mostra imperativa.

A pessoa que reduz as contas básicas a 70% do ganho total não terá problemas financeiros, pois terá reservas para emergências e oportunidades, e poderá investir em itens de qualidade de vida, como viagens, jantares em bons restaurantes, roupas mais caras, um curso importante e tudo o que desejar.

Se tiver dívidas, estas serão quitadas antecipadamente. Importante ressaltar que pelo menos 10% devem ser poupados para emergências em qualquer cenário, exceto se houver dívidas a taxas muito altas como cartão de crédito e/ou cheque especial. Neste caso, recomenda-se a troca da dívida por outras menos onerosas, para então começar a compor a reserva.

3 – Sempre tenha dinheiro guardado: Ter uma reserva financeira traz um grande bem-estar psicológico, mesmo que seja pequena. Alguém com R$ 2.000 na conta-poupança ou investimento já tem mais tranquilidade em relação a quem não tem nada separado. Uma reserva de um ano de despesas fixas consiste na situação ideal, condição obtida por poucos.

Viver na corda bamba gera estresse e ansiedade. Neste caso, a função da reserva consiste em deixar o sujeito tranquilo, pois sabe que tem para onde recorrer em caso de emergência.

Uma pessoa com reservas financeiras gasta menos tempo energia se preocupando com questões de sobrevivência e pode se dedicar à família e ao trabalho como melhor produtividade e qualidade.

CONCLUSÃO

Estes três ensinamentos, os quais foram registrados pela primeira vez há 6.000 anos pelos babilônios, eu tive a sorte de receber de meu pai quando criança. Desde aqueles tempos remotos eles melhoram a vida de quem os pratica e se mostram verdades eternas. Funcionou para eles, funciona para mim e funciona para você.

Claro que existem vários outros. Este post resume os três mais importantes.

Educação financeira se apresenta como um tema complexo, pessoal e em constante mutação. Esta matéria ainda engatinha no Brasil e no mundo e a população não compreende seu potencial de transformação e empoderamento para quem a pratica.

Para dominá-la, anos de estudo e prática são essenciais. Para aprender seus fundamentos e despertar o interesse, sugiro o acesso a estes sites sobre o tema:

DSOP Educação Financeira: www.dsop.com.br

Dinheirama: dinheirama.com

Mais Dinheiro: www.maisdinheiro.com.br

Clube dos Poupadores: www.clubedospoupadores.com.br

Guia Invest: www.guiainvest.com.br

Anúncios

Uma ideia sobre “As três lições mais importantes que aprendi sobre finanças pessoais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s