A jogada de mestre de Bolsonaro na votação do impeachment

gil jan jean
Estou me rachando de rir do mimimi dos petistas/psolistas/esquerdistas/isentões que estão choramingando porque Bolsonaro citou o Cel. Ustra no discurso dele! HUAHUAHAUHUAHUA!
Senta que lá vem aula de história!
O Glauber Braga, do PSOL (partido de pirocas), citou Carlos Marighella e outros citaram Che Guevara, Fidel Castro e Karl Marx. O primeiro sozinho é responsável por cerca de 120 assassinatos de cidadãos que defendiam a liberdade, quase um terço dos golpistas mortos pelos militares.
Ou seja, em citação de terroristas, candidatos que votaram SIM e NÃO estão empatados. Foram citados os torturadores dos dois lados.

Fora a própria Dilma, que jamais lutou pela democracia e pela Constituição. No regime militar, ela pegou em armas para lutar em um movimento golpista que pretendia implantar a ditadura militar comunista no Brasil, como ocorreu em Cuba. Assaltava bancos e é responsável por dezenas de mortes de inocentes, como Mario Kozel Filho.
A ditadura militar foi a versão brasileira da Guerra Fria. É verdade que os militares tiveram apoio dos americanos para defender o capitalismo, a democracia e a liberdade, enquanto os terroristas do VAR-Palmares, Colina, Polop e outros eram financiados pelos russos, treinados por Che Guevara em Cuba e pela KGB. Eles pegaram em armas, lutaram e morreram pelo COMUNISMO, não pela democracia.
Os bandidos que nos governam hoje, Dilma, Lula, FHC, Serra, José Dirceu, José Genoíno, Gabeira, Sarney, Aécio e o resto da corja, são profundamente ressentidos com os militares porque perderam a guerra para supressão da democracia e implantação do comunismo, nos moldes de Cuba e com o apoio de Che Guevara e Marighella. Não aceitam até hoje a derrota e surtam só de mencionar o nome de algum militar.
Lutaram menos ainda pela liberdade, que tentam hoje nos roubar por meio da ditadura do politicamente correto e da censura dos movimentos sociais, que agem como uma Gestapo petista, pronta para perseguir opositores e defender governistas pelos mesmos motivos.
Por conta dessa mesma censura da patrulha ideológica de esquerda, ouve-se mil críticas à citação de Ustra por Bolsonaro e silêncio absoluto pela citação de Marighella e Che Guevara pelos que votaram a favor da corrupção. A Gestapo do PT só censura aquilo que lhe convém, pois morre de medo de perder a boquinha da máquina pública e parar na cadeia. Ou pior ainda, ter que trabalhar!
Bolsonaro viveu a ditadura militar dentro do quartel e conhece a história daquele período profundamente. E sabendo que os petistas, psolistas e comunistas iriam estar exaltados (pelo temor de perder as mamatas), criou uma arapuca para eles! Homenageou os militares de propósito por saber que eles surtam de lembrar da derrota que sofreram dos militares na luta pelo comunismo.
Ele sabia muito bem que eles ficariam cegos de raiva e perderiam a cabeça. Ele sabia que seus dois arquirrivais do Rio de Janeiro discursariam logo depois dele, pela ordem alfabética (Jair Bolsonaro -> Jandira Feghali -> Jean Willys).
Ele sabia que se fizesse um discurso forte, eles iriam estar cegos de raiva quando chegasse a vez deles. Invocou tudo o que seus adversários mais odeiam: a derrota do comunismo/ o trabalho de Eduardo Cunha pelo impeachment/ Deus/ Cel. Ustra, aquele que prendeu Dilma. Deu certo!
Jandirão, ou Laerte, usou a maior parte do tempo para xingá-lo e fez um discurso patético. Tereza Rojão cuspiu nele. Vão responder a processo por quebra de decoro parlamentar e podem ser cassados. Passaram a carreira inteira criando armadilhas para Bolsonaro e agora vão provar do próprio veneno. Talvez o julgador seja Eduardo Cunha.
Como esperado, a opinião pública o massacrou, como de costume, pois atende aqueles que lhes pagam os bilhões de publicidade estatal, o PT e outros partidos de esquerda viúvas do comunismo, que perderam em 64 e em 2016 de novo. Glauber Braga passou incólume, mas Bolsonaro sofreu a censura da Gestapo governista, pois não há perdão para opositores. Mas ele já enfrenta isso todos os dias, está acostumado a ser criticado por aqueles que defendem a corrupção em troca de dinheiro.
Mesmo assim, Bolsonaro só cresce nas pesquisas de intenção de voto. Saiba mais em Pesquisa Ibope afirma: Bolsonaro é o candidato com menor rejeição entre todos os presidenciáveis>
Se você é de direita, deve estar se rachando de rir dos acontecimentos, pérolas e discursos da votação de impeachment até agora, e vai rir pelo resto da sua vida. Cada vez que for contar para os filhos, netos e bisnetos, daqui a 30, 50 ou 70 anos, vai ser diversão garantida para todos. Você participou da história do Brasil.
Se você é de esquerda e conseguiu ler até aqui, já deve ter xingado até a quinta geração dos meus ascendentes e descendentes e certamente está pensando “vai estudar história”, “analfabeto político”, “fascista”, “golpista”, “ignorante” e outros bordões. Mas eu mato a cobra e mostro o pau:
Eu não estudei história pelos livros do MEC. Meu professor de história na escola, o Professor João Alves, era de direita e ensinou que o comunismo nunca deu e nunca dará certo. Na vida adulta, eu estudei história com o Professor Olavo de Carvalho, que será o primeiro Prêmio Nobel brasileiro. Eu estudei história do jeito certo!
Quem tem mais credibilidade: um futuro Prêmio Nobel ou o seu professor de história barbudo drogado de 40 anos que não tem carro e mora com a mãe?
Leia outros posts sobre Bolsonaro em Visão Distinta
Anúncios

26 ideias sobre “A jogada de mestre de Bolsonaro na votação do impeachment

  1. leonardobissoli

    Boa tarde. Primeiramente Excelente texto, bom antes de fazer a pergunta quero deixar claro o seguinte:

    1) Não sou nem direita nem esquerda, sou apenas um brasileiro torcendo para o Brasil melhorar.

    2) Não moro no Brasil e não pretendo voltar, o Brasil não se encaixa nos meus valores de vida.

    Agora vamos a pergunta:

    Na sua visão, você acha possível, e como você faria (de uma forma geral), com que direita e esquerda parem de se matar e trabalhem em prol de um único objetivo, ou seja, fazer primeiro com que o Brasil pare de piorar e segundo o coloque novamente na curva de desenvolvimento.

    Curtir

    Resposta
    1. Pedro H. L. Guerra Autor do post

      Boa tarde Leonardo, obrigado por comentar.

      Os problemas do Brasil não são objeto de discussão. São uma realidade e não têm viés ideológico. A questão reside em que o atual governo de esquerda nega os problemas, finge que está tudo bem. Ou quando admite sua existência, transfere a culpa para terceiros como “a burguesia”, “os EUA”, “a crise econômica internacional” e foge de debates.

      Respondendo a sua pergunta: a solução para que direita e esquerda não fiquem se matando (em qualquer lugar do mundo) é o reconhecimento dos problemas pelas duas partes e a busca de propostas e soluções. Após o fim do regime militar, houve uma perseguição implacável contra a direita e tanto governo como oposição são de esquerda (PSDB e PT), se alternando no poder. Não há democracia sem ideias divergentes. Portanto, urge que a direita lute para reconquistar seu espaço na discussão pública, pois traz soluções novas.

      Humildade no reconhecimento de ideias divergentes é fundamental de ambos os lados. Porém, a ideologia de esquerda se esgotou nesse ciclo de 31 anos no poder e precisa de ideias mais arejadas como redução do tamanho do Estado, liberalismo econômico, incentivo ao empreendedorismo, investimento em infraestrutura e capital fixo e soluções novas para saúde, previdência e educação. Tabus criados pela esquerda como necessidade de ajuda do governo ao cidadão do berço ao túmulo, a ojeriza às privatizações, modernizar as leis trabalhistas de forma a abranger mais trabalhadores e o fim da luta de classes, dentre tantos, precisam ser discutidos sem emocionalismo.

      Resumindo: esquerda e direita vão parar de se matar quando houver mais espaço para o debate democrático e ambos concordarem que o interesse público e a pátria estão acima de partidos e/ou ideologias.

      Obrigado pela contribuição, Leonardo, vou transformar o comentário em um post.

      Curtir

      Resposta
      1. Max Soares

        Excelente texto !!! Mas em relação a esta resposta, gostaria de acrescentar algo.
        Primeiro, a nossa direita estava quase morta, poucos políticos realmente de direita, sem expressão no cenário politico.
        A esquerda que aí esta ( quase todos os partidos políticos) tem planos para eles, não para o
        Brasil, pois eles se espelham no lideres comunistas.
        Acho que a solução para isso, só acontecera com um corte mais profundo, como fizeram na Ucrânia, de acabar com todos os partidos socialistas e comunistas, e transformou em crime qualquer apologia a estes !
        Se fizerem isso no Brasil eu acho que sobra só o PSC!
        O problema então, não está em que a direita e esquerda brigam, mas sim que a esquerda não está cumprindo seu papel politico, mais um papel ideológico. ( Usa o dinheiro da maquina para se manter no poder, a qualquer custo)
        Ser de esquerda não significa ser comunista ou socialista, mas ter ideias em prol do Brasil diferentes de outras pessoas, sempre pensando no país.
        No meu ponto de vista, eu não vejo direita e esquerda brigando.
        Vejo uma direita forte renascendo das cinzas, lutando com estes partidos comunistas, que se fingem de esquerda, para não virar-mos uma Cuba ou uma Venezuela.
        E creio eu que tem que surgir também uma nova esquerda, sem sem ideologia de karl marks,
        mas uma esquerda como tem nos USA !!!
        Resumindo, ainda está longe de acabar está briga !!! Infelizmente !!! Mas ela tem que acontecer, para o bem dos nossos filhos !!!

        Curtir

  2. Dorothy Lavigne

    Rapaiz, vc ahazô! Sou transexual e achei que vc foi preconceituoso, cometeu uma gae: nos comparar com Jandira Feghalli, através da figura do Laerte. Somos pessoas honestas, integras e inteligentes e não merecemos ser comparar aquela BESTA da Jandira.

    Curtir

    Resposta
    1. Pedro H. L. Guerra Autor do post

      Peço desculpas por antecipação, Dorothy. Convivo muito com a comunidade LGBT e aprendo muito com vocês. O ensinamento mais importante que eles me passaram é que todos são indivíduos únicos e com seus próprios ideais e aspirações. Não se prendem a rótulos e cada um segue seu caminho com liberdade.

      Obrigado pela leitura!

      Curtir

      Resposta
  3. GUSTAVO DE SOUZA CHAGAS DE PAULA

    Muito bom texto e inteligente observação. Mas eu fiquei e estou muito preocupado com o que a esquerda possa fazer ao Bolsonaro. A esquerda no Brasil é grande e, se por algum motivo, a mídia entrar nos planos da esquerda, pode ficar complicado pra ele em 2018.

    Curtir

    Resposta
  4. Leonardo

    Seu imbecil…você e seu candidato apoiam a tortura de pessoas inteiramente por questões ideológicas…você percebe isso? você nem tá falando de torturar ladrões ou assassinos não, mas simplesmente torturar quem não pensa como vocês…se um Lula da vida implantasse uma ditadura esquerdista pra torturar conservadores, vc era o primeiro a se fuder… por essas e outras, que o seu candidato de merda nunca vai ganhar pra presidente…e vc pode zoar e ladrar a vontade, mas nada do que você fizer vai mudar essa realidade.

    Curtir

    Resposta
    1. Pedro H. L. Guerra Autor do post

      Estamos em uma democracia e chegou a hora de a esquerda se abrir para o debate para que se saiba A VERDADE, não só aquilo que interessa aos marxistas e fabianos do PT/PSOL/PCdoB/PSDB. Agora uma breve aula de história:

      No início dos anos 60, os soviéticos criaram e armaram um exército de guerrilheiros com o objetivo de dar golpes nas democracias latino-americanas e transformá-las em ditaduras do proletariado. Esses guerrilheiros, nos quais se incluem Che Guevara, Marighella, Lamarca, Genoíno, Zé Dirceu e Dilma Rousseff, que mataram em torturaram em nome da ideologia marxista e trotskista.

      A ditadura militar foi a versão da Guerra Fria no Brasil. Assim como os guerrilheiros lutavam pelo comunismo, os americanos ajudaram os militares a manter a democracia e a liberdade no Brasil.

      A intervenção militar, clamada pelo povo nas ruas e aprovada pelo Congresso Nacional em 2 de abril de 1964 tinha como única ideologia manter a liberdade do povo brasileiro, livrar-nos do comunismo. Foi uma reação à tortura e aos crimes cometidos pelos guerrilheiros treinados em Cuba. Esses sim torturavam por questões ideológicas.

      Nenhum direitista e a maioria da população defende a tortura gratuita, algo que nunca ocorreu. Os militares torturaram em reação aos crimes dos revolucionários comunistas que queriam tirar a liberdade do povo brasileiro, que também torturavam e matavam em nome da ideologia.

      Esse argumento é inválido porque houve excessos de ambos os lados. Mas os militares fizeram isso em DEFESA da liberdade e do estado de direito, enquanto revolucionários como Che, Dilma, Marighella e Lamarca ATACARAM nossa soberania para dar um GOLPE e implantar a ditadura do proletariado. Ustra lutou pelo Brasil e Dilma lutou pelo comunismo.

      Se um Che Guevara, Marighella, Lamarca, Dilma ou Lula da vida implantasse uma ditadura comunista no Brasil, estaríamos todos fudidos, começando pelas minorias: Negros e índios? todos mortos. Gays? Todos mortos. Sem-terra? Todos mortos. Mulheres? Devem obedecer o que o ditador manda ou vai para el paredón. Em uma ditadura do proletariado, o que menos importa é ser liberal, conservador ou esquerdista, basta discordar do ditador que você está morto.

      Vou explicar uma coisa sobre liberais e conservadores: diferentemente da esquerda, não precisamos da figura do líder. Nossa base é a ideologia flexível e com único objetivo de encontrar as melhores soluções para o desenvolvimento do Brasil. Apoiamos Bolsonaro pela coragem de lutar contra a ditadura do politicamente correto e a censura imposta pela Gestapo governista, representada pelos movimentos sociais, que querem calar apenas opositores de forma antidemocrática.

      Os valores fundamentais da direita são a liberdade, redução do tamanho do estado, corte de impostos, valorização da família, liberdade de crenças, estímulo ao empreendedorismo, fim da impunidade de todos os bandidos, melhorias da segurança pública, eliminação de Paulo Freire das escolas, comércio com os EUA, Japão e Europa, abertura comercial, estímulo à indústria, investimento em infraestrutura e liberdade de imprensa, entre dezenas. Se Bolsonaro não apoiasse essa pauta, não teria tanto apoio.

      E se ele não se eleger, votamos em outros como Ronaldo Caiado, Marcel van Hattem, João Amoedo ou outro liberal e/ou conservador. Não nos apegamos ao líder como à esquerda, mas ao progresso do Brasil e do povo brasileiro.

      E quando você começa seu comentário com “seu imbecil”, você mostra a verdadeira cara da esquerda e toda sua tolerância a ideias divergentes. Começar uma argumentação com um ad hominem já tornou seu comentário perdedor logo de saída, porque mostrou que atingimos nosso objetivo de desestruturar os esquerdistas.

      Obrigado por comentar, você nos provou que a esquerda é só amor!

      Curtir

      Resposta
      1. Pedro H. L. Guerra Autor do post

        A esquerda enganou o povo desde 1994 até 2015, quando o esquerdista FHC se elegeu. E tudo que FHC implementou, Lula e Dilma ampliaram, inclusive enganar o povo.

        A esquerda enganou o povo dizendo que lutou pela democracia, quando na verdade lutaram pela ditadura do proletariado, como denunciaram Fernando Gabeira e Eduardo Jorge.

        O PT enganou o povo dizendo que acabou com a fome e a miséria com os programas sociais. Qualquer visita a uma capital do nordeste desmente isso.

        O PT/PSOL/PSDB sempre pregaram o aumento de impostos afirmando que isso melhoraria a vida do pobre. Observou-se justamente o contrário, pois mais tributos geram inflação e os menos favorecidos gastam um percentual maior de sua parca renda que os ricos. Mais carga tributária aumenta a desigualdade social.

        A esquerda radical prega a luta de classes, dizendo que os capitalistas exploram os trabalhadores. Não percebem que a cooperação entre as duas categorias é necessária, pois os ricos precisam da força e trabalho dos pobres e os pobres dos empregos e salários gerados pelos ricos. Promover a luta de classes é a verdadeira enganação.

        Posso dar milhares de exemplos, mas a estratégia de Stalin que você usa não funcionará mais. Me acusar daquilo que você faz e me xingar daquilo que você é não faz mais sentido.

        Você não precisa acreditar em nada do que digo, mas garanto que o PT/PSOL/PCdoB/PSDB não vão mais enganar 93% da população como nos últimos 20 anos. Agora eles estão do nosso lado e estamos crescendo.

        Curtir

      2. Leonardo

        FHC esquerda? kkkkk…vc é muito comédia…o cara quase vendeu o Brasil todo como você gostaria que fizesse e vem com essa de esquerda…Cara, você é muito idiota…e foda-se esse seu papinho de esquerda é amor…de onde vc tirou isso? esquerda é combate da mesma maneira que a direita é…você está apoiando tortura pra quem é de esquerda, quer que eu te de a outra face ainda?? vai tomar naquele lugar…quanto as críticas ao Mariguela, só te digo uma coisa…se Lula ou Dilma se transformassem o Brasil em uma ditadora esquerdista, e todos os conservadores de direitas fossem perseguidos, torturados e mortos, acredito que você ia ser um dos Mariguelas, condenados pelo governo e exaltado pela esquerda…ou não ia…ia virar um “cidadão de bem” de esquerda?

        Curtir

      3. Pedro H. L. Guerra Autor do post

        Já percebi que você não conhece a biografia de FHC, o principal político do Partido SOCIAL DEMOCRATA Brasileiro, um partido de centro-esquerda no Brasil, alinhado ideologicamente com o Partido Democrata.

        FHC é sociólogo formado pela USP com doutorado em Sorbonne, na França, a pátria-mãe da esquerda. Foi professor de ambas durante mais de 40 anos e formou várias gerações de esquerdistas.

        Como intelectual de esquerda, atuou na ocupação de espaços nas universidades e setor público pelos políticos que hoje nos governam. Lutou contra o regime civil-militar e foi exilado. Foi comunista, mas contra o golpe armado para a implantação de uma ditadura do proletariado.

        Ao ver a inviabilidade do marxismo, adotou o socialismo fabiano como meio de implantar o socialismo. Uma estratégia tão bem-sucedida que foi adotada pelo PT e implantada com sucesso. Quando você comenta neste site, você milita pelo socialismo fabiano, introduzido pelo PSDB e abraçado pelo PT, PCdoB e PSOL.

        Ao ver a queda do comunismo na URSS e receber a economia brasileira em frangalhos, FHC abandonou seuu coração comunista e adotou, à revelia, o liberalismo, aconselhado por Gustavo Franco, Edurdo Gianetti e Arminio Fraga. Implantou o Plano Real, estabilizou a moeda e reduziu a pobreza e as desigualdades sociais via aumento do poder de compra. Não aprovo o seu governo, mas tenho que dar o braço a torcer. Não dá para negar os benefícios do Plano Real.

        FHC encontrou um Estado inchado e uma reforma se mostrava inadiável. Cortou direitos dos servidores e postos de trabalho e privatizou empresas públicas ineficientes, que serviam apenas de cabides de emprego para barganhas políticas.

        Privatizou a Vale e as siderúrgicas: em cerca de 20 anos, o lucro da Vale aumentou em quase 40 vezes, o número de empregados aumentou de 12 mil para 110 mil sem virar cabide, pois trabalham de verdade e geram valor para a sociedade. O pagamento de impostos pela empresa aumentou 35 vezes. No governo Lula, boa parte do crescimento econômico veio da exportação de minério de ferro para a China, que foi possível pela privatização da Vale por FHC. Caso contrário, haveria a demanda mundial mas não teríamos capacidade produtiva para entregar o produto. Portanto, sem a privatização da Vale não haveria crescimento.

        Sou a favor de privatizações sim, pois todos ganham com elas: o consumidor ganha com produtos mais baratos e mais concorrência; os funcionários ganham postos de trabalho e aumentos de salário; o governo ganha com maior arrecadação de impostos e contribuições previdenciárias; o país ganha com a abertura ao comércio internacional; os acionistas ganham com maiores dividendos. Os únicos que perdem são os políticos, que têm menos cargos para negociar e oportunidades de desviar dinheiro para campanhas eleitorais e para a Suíça.

        Uma das maiores mentiras que inventaram é que “o petróleo é do povo”. Não é do povo. É dos políticos. Quanto eles roubaram da Vale? Nada, pois foi privatizada. A Petrobrás todos sabem a história.

        Todos meus professores de economia são a favor das privatizações, enquanto todos os professores de história eram contra. Meus professores de economia têm altos salários, moram em bairros bons e têm uma postura positiva frente aos alunos. Diziam que todos podiam ter um bom padrão com o esforço e conhecimento certos.

        Meus professores de história sempre estavam endividados, moravam de aluguel ou de favor e sempre reclamavam de tudo. Achavam que tinham a solução dos problemas do mundo quando não resolviam nem suas vidas bagunçadas.

        Enfim, comprei a ideia dos que entregaram os melhores resultados. Sigo seus passos e está dando certo.

        De onde eu tirei que a esquerda é só amor? Foram vocês que inventaram esse bordão! Como também inventaram o “não vai ter golpe!”. Vocês criam esses bordões para esconder a realidade. Lenin dizia que uma mentira repetida mil vezes vira verdade. Claro que a esquerda é combate e não amor. Assim como impeachment não é golpe. E ambas são mentiras criadas pela esquerda.

        Não sou a favor da tortura por questões ideológicas, mas por posições golpistas que querem pegar em armas para derrubar uma democracia para implantar uma ditadura, seja ela de esquerda ou de direita.

        Dilma, Lula, Marighella, Lamarca ou Che poderiam ser considerados heróis de lutassem por uma DEMOCRACIA, mérito que cabe aos militares, que a reimplantaram logo que afastada a ameaça comunista. Dilma e os guerrilheiros são considerados bandidos porque queriam uma ditadura do proletariado implantada pelas armas. A tortura foi uma reação dos militares em defesa do povo brasileiro.

        No seu exemplo, se houvesse uma DEMOCRACIA de esquerda e um grupo tentasse implantar uma ditadura de direita na base das armas, claro que os hipotéticos revolucionários direitistas seriam tão bandidos quanto Marighella, Dilma e Lamarca por lutar pela instauração de um regime autoritário. Mas no caso de uma DITADURA de esquerda pela restauração da DEMOCRACIA ideologicamente livre, os revolucionários armados seriam heróis por lutar pela liberdade, a exemplo de Gandhi.

        Essa hipótese que você criou já nasceu com um grave erro conceitual, pois nunca existiu um regime socialista com liberdade.

        Para resumir toda a história: não esquerda contra direita, mas ditadura contra democracia. Liberdade contra autoritarismo. Fui claro?

        Sugiro abandonar os livros do MEC e a narrativa da Rede Globo, Veja, Folha e Carta Capital antes de comentar.

        Curtir

  5. Alan Porto

    Parabéns Pedro! Você acabou com a carreira do Leonardo Esquisito Petista da Silva! kkkkkk
    Leo? Disfarça e pede pra sair! 🙂

    Um abraço Pedro!
    Obrigado pela aula!!!

    Curtir

    Resposta
  6. Pingback: Pesquisa Datafolha comprova: Jair Bolsonaro lidera intenções de voto para presidência em 2018 | Visão Distinta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s